fundo_topografia-01.png
_TRE6406_edited.jpg

A REGIÃO

risco.png
_TRE5496.jpg

Paredões de rocha, belas cachoeiras, nascentes - incluindo a do Rio São Francisco -, e altitudes que beiram os 1.500 metros, fazem da Serra da Canastra um dos mais encantadores cenários do cerrado brasileiro.  


Para além da paisagem, a Serra da Canastra é um exemplo perfeito de como tudo está integrado. Ô se está! A natureza ainda preservada caminha ao lado de propriedades com pastagem nativa e também com o jaraguá, capim-gordura e braquiarão, que alimentam o gado das raças caracu, girolando, cruzados e muitos outros.   
 

O clima é ameno, com temperaturas médias que ficam entre 18ºC no inverno e 22ºC no verão. A fauna e a flora são bem características. E quem nasce e vive na região, os chamados “canastreiros”, é uma gente especial, um povo com um quê a mais de mineirice. 

Há mais de 200 anos, ali se faz um dos melhores queijos do Brasil (talvez o melhor, dizem as boas línguas). Um conhecimento acumulado, agrupado, transformado. Um jeito próprio de fazer queijo. 

No sudoeste de Minas Gerais, um conjunto de serras que à distância lembra um baú forma a chamada Serra da Canastra. São mais de 200 mil hectares de um território que abrange os municípios de São Roque de Minas, Delfinópolis, Capitólio, Vargem Bonita, São João Batista do Glória e Sacramento. 

“Ah, sou queijeiro desde os sete anos. Desde os sete, aprendendo a cuidar do pasto, a tratar do gado, a tirar leite, a pegar o pingo, a prensar a massa, a virar o queijo de tempos em tempos, qual é a melhor madeira... Esse saber fazer que é uma bela tradução da Canastra. Esse saber que é a Canastra mais pura, como uma deliciosa fatia de queijo minas artesanal." 

 

Saulo Antonio Lopes

O NOSSO TERROIR

risco.png

Queijo é vida. Queijo é vivo.
Como toda vida, o queijo faz parte de um ecossistema e interage com a biota, com as pessoas e com a cultura de onde é produzido. E esse é o verdadeiro sentido do que chamamos de “terroir”. 
 

A Serra da Canastra é o território queijeiro mais conhecido e reconhecido do Brasil. Não à toa. Em Minas Gerais - ah, Minas Gerais! -, a tradição da produção de queijos trazida pelos portugueses é centenária. A região fica em uma área de transição entre cerrado e Mata Atlântica e reúne condições geográficas, climáticas, aquíferas, de fauna e flora, culturais e sociais perfeitas para a produção de um queijo excepcional. 

A Fazenda Águas Claras, onde é produzido o Queijo Canastra Artesanal Vale da Gurita, está localizada no Vale da Gurita, extensão de terra entre duas pequenas serras, com cerca de 50 km de extensão, a 850 metros de altitude, ao longo dos rios Babilônia e Santo Antônio, em plena Serra da Canastra. Isso faz com que seja uma região com pequenas propriedades, isoladas das grandes lavouras, conseguindo manter preservadas as características ambientais do local. 
 

Os riachos, a mata intocada, as águas puras e cristalinas que descem da serra, a qualidade do ar, a altitude, as chuvas no verão e o inverno seco, as temperaturas moderadas, os pastos jaraguá, capim-gordura, mombaça e braquiarão, os bichos visíveis e invisíveis, micos, tucanos e uma infinidade de aves, as vacas, as bactérias e os fungos, as pessoas, 200 anos de saber queijeiro, um jeito próprio de ser e fazer... Tudo isso fica impresso no Queijo Canastra Artesanal do Vale da Gurita e se traduz em um sabor único no mundo.